Seja bem vindo ao nosso site SISTEMA HORIZONTE DE COMUNICAÇÃO LTDA!

Buscar  
WhatsApp 81 3621.1566
Hora Certa

Peça sua Música

Pedir

William

Carpina

Dilsinho refém ...

William

Carpina

Ezo rabelo meio caminho andado...

sara vasconcellos

recife-pe

Insano-Brunno Carvalho...

maria luiza dias

recife

barreiras-brunno carvalho...

otavia guimaraes

olinda-pe

lembro-brunno carvalho...

Pedro Ximenes

Recife

Cê Sabe - Nanda Queiroz...

Mural

Enviar mensagem

William

[22/7 10:00] William: Bom dia querida tenha uma ótima semana muita p...

Jenner Azevedo

Muito feliz em fazer parte dessa equipe entusiasmada e competente. Agrade&c...

Humberto Marques

Parabéns pelo site. Está muito show. Não paro de acess...

Fabricio Nunes

Toda equipe do site está de parabéns pelo belo trabalho, cont...

Sandro

Parabéns a Toda Equipe do Site! Agora é noticia em tempo real...

Bento Junior

Parabéns Sucesso!!! Voces estao de parabéns pela iniciativa...

Tamiris

vcs estao de parabéns!! adorei o novo site estar masa pricipalmente ...

Publicidade Lateral
sos crédito
Casas Bahia
Pitú
d+asas
LAB ATENDE
auto escola sigabem
Anuncio do site SISTEMA HORIZONTE DE COMUNICAÇÃO LTDA
CHAT ONLINE

Digite seu NOME:

Fan Page
Estatísticas

Visitas: 412212

Usuários Online: 9

Brasil

Juíza ordena prisão de Ronaldinho Gaúcho por tempo indeterminado

Ambos entraram no Paraguai com documentos falsos e não explicaram, segundo a Justiça, a razão disso

Publicada em 07/03/20 às 20:50h - 133 visualizações SISTEMA HORIZONTE DE COMUNICAÇÃO LTDA

Link da Notícia:
Compartilhe
   

Juíza ordena prisão de Ronaldinho Gaúcho por tempo indeterminado
Ronaldinho e o irmão Assis  (Foto: Norberto DUARTE / AFP)
Depois de uma audiência que durou sete horas, a juíza Clara Ruíz Díaz acatou o pedido do Ministério Público paraguaio de que Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto de Assis, sejam presos por tempo indeterminado, que pode ser de até seis meses enquanto se investiga o que ela classificou como "grave delito que atenta contra os interesses da República".

Ambos entraram no Paraguai com documentos falsos e não explicaram, segundo a Justiça, a razão disso. A defesa tentou pedir que a prisão fosse domiciliar, porém, para isso, teriam de apresentar documento que demonstrasse residência no país ou propriedade ou aluguel de algum imóvel.

"Eles não mostraram nenhum documento que demonstrasse que mereciam esse benefício da prisão domiciliar.", disse a magistrada. A defesa disse que irá recorrer.
Ronaldinho e Assis, algemados e com ar abatido, deixaram a sala da audiência sem dizer nada e foram levados de volta à penitenciária Agrupación Nacional, na capital paraguaia.

Segundo o Ministério Público paraguaio, Ronaldinho e seu irmão entraram na quarta (4) no país portando passaportes e cédulas de identidade paraguaios falsos. Os números dos documentos apreendidos pertencem a outras pessoas, que estão detidas. Ainda não se sabe o motivo que levou Ronaldinho e seu irmão a usarem os documentos falsos, em vez de seus passaportes brasileiros, para entrar no país. Eles também poderiam ter utilizado apenas o RG do Brasil.

A defesa de Ronaldinho e de Assis aponta o empresário brasileiro Wilmondes Sousa Lira como responsável por entregar a eles os passaportes falsificados. Ele está em prisão preventiva. Duas mulheres, María Isabel Galloso e Esperanza Apolônia Caballero, donas das cédulas de identidade usadas para a adulteração, foram denunciadas e estão em prisão domiciliar.

Na quinta (5), o Ministério Público paraguaio havia decidido não acusar o ex-atleta e seu irmãos pelo uso dos documentos, alegando que eles foram "enganados em sua boa-fé". A punição seria feita apenas com multa ou prestação de serviço comunitário. Na sexta, uma reviravolta aconteceu depois da audiência com o juiz Mirko Valinotti. Ele decidiu que o caso deveria ser remetido para a procuradora-geral do Estado, Sandra Quiñónez, que deve revisar a decisão inicial da Promotoria em até dez dias.

Poucas horas depois da audiência, ainda na noite de sexta, os irmãos foram provisoriamente detidos enquanto estavam no hotel Sheraton. Ronaldinho passou a noite numa cela com seu irmão, um ex-deputado e o ex-presidente da Associação Paraguaia de Futebol, Ramón González.

Na manhã de sábado (7), o ex-atleta e Assis deixaram o local da detenção para comparecerem a uma audiência no Palácio da Justiça, com a juíza Clara Ruiz Diaz, e chegaram algemados. Depois da audiência, o promotor Osmar Legal disse que a Procuradoria-Geral pediu a ratificação da decisão de manter Ronaldinho e seu irmão detidos no Paraguai alegando o risco de fuga, porque eles teriam recursos econômicos suficientes para deixar o país.

O advogado de Ronaldinho, Sérgio Queiroz, disse à Folha de S.Paulo que a colocação de algemas foi um ato "arbitrário, abusivo, desproporcional e com manifesto propósito de humilhação". E acrescentou que a mudança na decisão sobre os brasileiros "afronta o exercício regular de defesa e a presunção de inocência".

Ronaldinho foi para o Paraguai à convite de Nelson Belotti, um dos donos do cassino Il Palazzo, localizado no hotel em que o ex-atleta estava inicialmente hospedado com seu irmão Assis, e pela empresária Dalia López. O ex-jogador ficaria de 4 a 7 de março na região de Assunção.

Uma página no Facebook, "Ronaldinho en Paraguay", anunciava nos últimos dias quais seriam os compromissos do brasileiro ao lado de Dalia, representante da Fundação Fraternidade Angelical, que teria sido fundada em 2019 e aparece como apoiadora do evento. Segundo o jornal ABC Color, do Paraguai, a empresária era, até esta semana, "desconhecida pelo grande público".

De acordo com a programação, Ronaldinho Gaúcho participaria do lançamento do programa "Móvel de Saúde para Meninas e Meninos", uma iniciativa anunciada pela empresária para oferecer assistência médica gratuita a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade no país.​ 

ACUSADO DE ENTREGAR DOCUMENTOS COLOCA CULPA EM EMPRESÁRIA

Wilmondes Sousa Lira, acusado de ter entregue passaportes falsos a Ronaldinho, depôs à Justiça nesta sexta (6). Segundo seu advogado, a culpada pelos documentos adulterados é a empresária paraguaia Dalia López, responsável por levar o ex-jogador ao país. "Dalia López é quem tomou conta de tudo desde o princípio até o final", disse Enrique Kronawetter.

Segundo o advogado, o empresário disse à polícia que, um dia antes, em visita ao aeroporto para acertar detalhes da segurança na sala VIP, o marido de Dalia, Luis Gauto, afirmou: "Não se preocupe [com a entrada no país], nós que mandamos". Wilmondes Lira, 45, tem duas empresas ativas registradas em seu nome em Brasília e uma inapta em Tocantins. Advogado de Dalia, Hugo Volpe declarou na sexta que deixou a defesa de sua cliente.

Fonte: Folha de Pernambuco



ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Parceiros
Parceiro 03Parceiro do SISTEMA HORIZONTE DE COMUNICAÇÃO LTDA

Copyright (c) 2022 - SISTEMA HORIZONTE DE COMUNICAÇÃO LTDA - Todos os direitos reservados
Converse conosco pelo Whatsapp!
site, tv, videos, video, radio online, radio, radio ao vivo, internet radio, webradio, online radio, ao vivo, musica, shows, top 10, music, entretenimento, lazer, áudio, rádio, música, promocoes, canais, noticias, Streaming, Enquetes, Noticias,mp3,Blog, Eventos, Propaganda, Anuncie, Computador, Diversão e Arte, Internet, Jogos, Rádios e TVs, Tempo e Trânsito, Últimas Notícias, informação, notícia, cultura, entretenimento, lazer, opinião, análise, jogos, Bandas, Banda, Novos Talentos, televisão, arte, som, áudio, rádio, Música, música, Rádio E TV, Propaganda, Entretenimento, Webradio, CD